LDC

Nossas pessoas

5 minutos com Kim, Head Global de Pesquisa para a Plataforma de Grãos

11.07.2018

Entrei na Louis Dreyfus Company (LDC) em julho de 1992, como Trainee na mesa de Soja em Kansas City, EUA, logo depois de me formar do Trinity College, em Connecticut, com dupla especialização em Economia Política Internacional e Língua e Literatura Russas. Decidi aceitar a oportunidade na LDC em grande parte devido à interessante história da família Louis-Dreyfus, que exportava grãos a partir da Rússia antes da revolução bolchevique. Não lembro muito sobre meu primeiro dia na LDC, mas algumas coisas que aconteceram à época permaneceram comigo. Recordo-me de uma senhora que entregava cópias de 50 páginas das transmissões do mercado que chegavam à noite por fax; lembro também de teleconferências diárias, logo de manhã cedo, com traders de exportação em nosso escritório em Wilton, Connecticut, e eles nos perguntavam quando os agricultores locais começariam a vender milho.

post-inpage-landscape-MASTER.jpg

Era um ambiente de trabalho excelente, pois todos os trainees aprendiam juntos. Éramos um grupo de jovens formandos, e passávamos muito tempo no escritório, trabalhando e aprendendo o negócio das commodities. A maioria de nós havia sido transferida para Kansas City, então também passamos algum tempo juntos fora do escritório; havia muita camaradagem. Os traders seniores praticamente competiam uns com os outros para nos ensinar mais. Um de nossos mentores começava a explicar algum assunto e, de repente, estávamos todos em uma sala de conferências, traders e trainees, discutindo (ou debatendo!) um tópico específico.

No início, minha ambição de médio prazo era ser um trader de grãos físico, fora dos EUA. Meus objetivos mudaram com o passar do tempo, mas consegui essa experiência internacional em 2013; fui nomeado Head de Grãos para a Ásia e, por dois anos, gerenciei uma equipe de comercialização e marketing fora dos EUA. Fiquei baseado em Cingapura, hub da LDC na região, e era responsável por nossas operações de comercialização de grãos na Austrália, na China, na Índia e no sudeste da Ásia. Essa foi uma experiência ótima, porque me ensinou como diferentes culturas fazem negócios: suas prioridades, o que impulsiona suas decisões e como elas podem interpretar as mesmas informações que você tem de um modo totalmente diferente. Meu desafio era descobrir como a LDC poderia atender às suas necessidades e expandir nossos negócios, junto com nossos clientes.

Estive envolvida em pesquisa e análise em todos os cargos que ocupei na LDC, exceto no período que passei em gestão de riscos financeiros. Resumidamente, essa área de pesquisa de commodities analisa a oferta e a demanda para identificar déficits ou superávits que podem influenciar o preço final ou os preços relativos. A função evoluiu muito ao longo dos anos, e hoje o mercado tem acesso a muita informação. Por exemplo, dados meteorológicos e imagens de satélite mais sofisticados podem prever os rendimentos em diferentes regiões com mais precisão, o que, por sua vez, impactará os preços. Devido à nossa presença nos mercados físicos em todo o mundo, é possível que recebamos algumas informações mais rapidamente do que outros comerciantes. Por causa da nossa longa história no setor, temos a experiência necessária para interpretá-las. Nosso maior desafio é sermos os primeiros a tirar a conclusão correta com base na vasta quantidade de informações disponíveis. Parte do meu papel é olhar para o futuro, encontrar maneiras para aumentar a eficiência ao coordenar a análise da pesquisa com uma equipe que está espalhada por todo o mundo e garantir que a LDC esteja sempre na vanguarda da pesquisa no mercado de grãos.

Uma última coisa…

O que você mais gosta de trabalhar na LDC?

Há muitas pessoas inteligentes na LDC, e gosto de estar em um ambiente intelectualmente desafiador. A empresa também dá flexibilidade para você se desenvolver profissionalmente; até onde e com que rapidez você avança depende de seu desempenho. Ao demonstrar que se está pronto para receber mais responsabilidades, mais responsabilidades serão dadas para você. Seu crescimento não é limitado aos cargos disponíveis em seu departamento.Talvez você queira passar para outra plataforma, função ou região. Isso torna deste um lugar muito dinâmico para trabalhar.

Se pudesse viajar no tempo, o que diria a “você novata”?

Eu diria a mim mesma: “Quando a Internet for inventada, não pare de conversar. Reserve tempo para ligar em vez de mandar um e-mail ou mensagem de texto. E não leve para o lado pessoal se seus colegas desafiarem suas ideias - estamos todos tentando chegar ao melhor cálculo ou garantir a melhor solução para a empresa. Todos têm um jeito diferente de entender, explicar e debater”.

Existe uma commodity da LDC sem a qual não seria possível viver?

Isso é complicado, pois há substitutos para a maioria delas, embora não necessariamente nas quantidades de que o mundo precisa. Então, se o mundo parasse de cultivar milho, por exemplo, tudo o que consumiríamos ficaria muito mais caro e não conseguiríamos alimentar uma população de 10 bilhões de pessoas. Mas sou suspeita por causa do meu trabalho na Plataforma de Grãos. E eu gosto de um bom filé de carne de boi alimentado com milho de vez em quando, então detestaria ver isso desaparecer!

© 2018 Louis Dreyfus Company

Cookies

Nós utilizamos cookies para lembrar suas preferências e fornecer a melhor experiência em nosso site. Por favor, clique no botão para aprovar o uso de cookies. Saiba mais lendo a nossa política de privacidade.